29 dezembro 2010

TOP 1986 - Entre Dois Amores

Seguindo a mesma linha dos dramalhões amanteigados que levaram a melhor nas premiações do Oscar na década de 80 (Gente Como a Gente, Carruagens de Fogo, Laços de Ternura), Entre Dois Amores, vencedor da estatueta de Melhor Filme em 1986, teve a infeliz pretensão de se tornar um clássico épico, posto que perdeu logo que a poeira do tapete vermelho daquele ano abaixou. Foram 11 indicações e sete premiações, entre elas Filme, Diretor, Roteiro, Fotografia e Som (injustamente, diga-se de passagem). Entre os indicados daquele ano estavam A Honra do Poderoso Prizzi (Prizzi’s Honor), Testemunha (Withness), o metade brasileiro metade americano O Beijo da Mulher Aranha (Kiss of The Spider Woman) e o melhor do ano (para mim) A Cor Púrpura (The Purple Color), de Steven Spielberg.

A história é baseada no romance autobiográfico da dinamarquesa Karen Blixen (ou Isak Dinesen, pseudônimo utilizado por ela), lançado em 1936, que conta a trajetória da escritora no Quênia no início do século XX, quando ela foi para o continente africano a fim de se casar com o primo Barão Bror Blixen-Finecke (Klaus Maria Brandauer), apenas para conquistar a posição de baronesa. O sentimento desnecessário de amor entre eles, aliado ao carinho especial que Karen passa a sentir pelo aventureiro Denys Finch Hatton (Robert Redford), é a receita perfeita para que a corajosa Karen deixe de viver um casamento de fachada e se jogue de corpo e alma nos braços de Denys.

Dois problemas surgem no caminho, entretanto: a protagonista pega sífilis do marido adúltero, tendo de voltar para a Dinamarca para se tratar e, logo após sua volta para a África, descobre que Denys não quer compromisso, abrindo mão de qualquer coisa para ter sua liberdade garantida. A situação piora ainda mais quando um terrível incêndio destrói a plantação de café de Karen (seu sustento) e uma parte da casa onde vive. Apesar de trágica, a vida da mulher que um dia foi delicada se transforma a partir do momento que ela conhece a África (com suas belezas naturais) e o amor de sua vida, mesmo que não seja correspondida.

Desde o início, o filme me lembrou muito o Austrália, com a Nicole Kidman e o Hugh Jackman, só que bem mais chato. Tirando seus méritos (fotografia, trilha sonora e interpretação), Entre Dois Amores peca ao ser longo (e lento) demais e ter no roteiro uma história que parece se orgulhar de ser muito complexa (muitas reviravoltas nas vidas do personagem sem uma liga eficiente), o que na verdade prejudica o ritmo do longa. Como já disse, as atuações de Robert Redford e Meryl Streep (mais uma vez) estão deslumbrantes. Eles conseguem transparecer a paixão que aos poucos surge no casal de amor proibido, convencendo que o amor pode existir, mesmo que para isso duas pessoas completamente diferentes tenham que enfrentar os limites do sentimento.

A fotografia (toda ambientada nas paisagens africanas do Quênia) é deslumbrante, mostrando a aridez e a magia do continente africano, principalmente nas cenas aéreas e nos ataques dos leões (que inclusive dão um pique a maçante história). Por sua vez, a trilha sonora se alia a fotografia para preencher o sentido que o longa se propõe a oferecer ao espectador, gerando uma história bonita, comovente, mas difícil de engolir nos dias atuais. Obs: A tradução do título original é uma das piores que eu já vi.


OBS: Nessa sexta-feira não haverá 1/3 ESTREIA devido ao Reveillon. Volto com o projeto na segunda, dia 3 de janeiro. Agradeço a todos os meus seguidores e amigos que me acompanharam em 2010, peço desculpas por às vezes ser ingrato e não visitar os blogs parceiros por um longo tempo e desejo que o ano que se aproxima seja especial para todos nós. Feliz 2011!

ENTRE DOIS AMORES (OUT OF AFRICA)
LANÇAMENTO: 1985 (EUA)
DIREÇÃO: SYDNEY POLLACK
GÊNERO: DRAMA/ BIOGRAFIA
NOTA: 7,5

9 comentários:

Tô Ligado disse...

Grande GUi... Eu é quem agradeço sua parceria. Uma das melhores já estabelecida com o Tô Ligado!

Se tudo sair conforme eu estou combinando em janeiro estarei novamente em SP, daí a gente marca de ir no Play ou ver algum filme...

Boas festas pra ti e td sua familia. Que 2011 seja repelto de realizações. Muito sucesso e saúde. Fique com DEUS.

pseudo-autor disse...

Realmente, às vezes a academia parece que fumou toneladas de erva. Deixar de premiar A Cor Púrpura ou A Testemunha para validar esse aqui foi, no mínimo, uma piada na época. E olha que o elenco é ótimo! Fazer o quê... Hollywood é assim: sempre contraditória.

Cultura na web:
http://culturaexmachina.blogspot.com

Kahlil Affonso disse...

nunca vi este filme... tenho raiva dele... 'a cor púrpura' é um dos filmes mais injustiçados na história do oscar e 'entre dois amores' roubou o oscar de melhor filme dele

http://filme-do-dia.blogspot.com/

Tô Ligado disse...

Opaaa, venho lhe desejar um execelente 2011 cheio de realizações e tudo de melhor que a vida possa lhe oferecer.

Sua parceria foi muito importante para o Crescimento do TÔ Ligado!.

Espero poder contar com você no próximo ano.

Fique com Deus... Abraços.
Brunno Luiz

Claudinha ੴ disse...

Oi Gui! Eu lhe desejo um excelente 2011! Saudades de você!

Concordo com sua crítica ao 'Entre dois amores', mas queria ressaltar a trilha sonora e a fotografia do filme que pra mim são inesquecíveis!
Um beijão!

Claudinha ੴ disse...

Nesta foto do meu perfil aqui do comentário eu to abraçada com você, no BCI de rock (Lulu Santos) que foi lá no recanto e a gente se acabou de tanto dançar!
Bj

Fábio Campos disse...

Legal o seu blog, tem bastante informações interessantes de filmes.

Anônimo disse...

Se for postar poste algo que preste, com o link para baixar.

Aprende a postar!

Anônimo disse...

[url=http://cialisonlinehere.com/#tmano]buy generic cialis[/url] - cialis online without prescription , http://cialisonlinehere.com/#xeqtm cialis online