03 agosto 2010

TOP 1953 - O Maior Espetáculo da Terra

Considerado o pior longa entre os vencedores de Melhor Filme da história do Oscar, O Maior Espetáculo da Terra retrata a vida dos artistas de um grandioso circo americano que está prestes a falir. Seu gerente, o durão Brad Braden (Charlton Heston) tem a missão de, além de administrar os problemas das centenas de moradores que dividem a lona, se dividir entre o amor de Holly (Betty Hutton), a principal trapezista do circo, e as obrigações de seu ofício de líder.

Para salvar sua vida e a de seus amigos, Braden tem a ideia de contratar o grande Sebastian (Cornol Wilde), às no trapézio, que atrairia mais público e dinheiro. Para isso, tem que tirar Holly do picadeiro central, contradizendo a promessa feita a amada de que o posto seria definitivamente dela. O que ele não esperava era que, mesmo aceitando sua imposição, Holly não perderia tempo e se arriscaria mais e mais para chamar toda a atenção possível. É por meio desta competição entre ela e Sebastian que o filme encontra seu ápice nos trechos em que os dois trapezistas desafiam seus próprios limites a fim de um prestígio maior.

Holly também se apaixona por Sebastian e os dois, juntamente com Braden, protagonizam um estúpido e interesseiro triângulo amoroso, criado talvez para diversificar o roteiro, mas sem êxito direto. Falando em roteiro, ele é praticamente todo preenchido com suntuosas, porém insuportavelmente grandes apresentações circenses, desde números de malabarismos a esquetes de desanimados palhaços, sem falar nos monótonos desfiles temáticos. Parece que tudo ao redor das apresentações foi inserido no filme apenas para "encher linguiça", pois os diálogos e as situações que são criadas são desconexas e inúteis.

A trilha sonora e o trabalho de figurino é eficiente, o controle dos animais (leões, tigres, elefantes etc) e das centenas de figurantes é disciplinado e as imagens são deslumbrantes. Porém, o conteúdo dramático deixa muito a desejar e realmente concordo que, até aquele ano, O Maior Espetáculo da Terra é o pior filme ganhador da estatueta de Best Picture, principalmente por ter concorrido com clássicos do cinema como Matar ou Morrer (High Noon) e Depois do Vendaval (The Quiet Man), além do musical Moulin Rouge.

O filme é extremamente longo (são quase três horas de produção) e repleto de cenas massantes e repetitivas. É óbvio que quem curte a arte circense vai gostar muito mais do filme do que eu, que não admiro esse tipo de trabalho. Porém é inegável admitir que a trama dirigida por Cecil B. Demille, expert em mega produções e admirador da imagem em detrimento do texto, é marcante para o rol de obras relacionadas ao assunto.

O Maior Espetáculo da Terra é o terceiro vencedor a ser filmado em cores naturais através do Technicolor e traz uma inovação no 25º ano de premiação do Oscar: não há a inserção do The End no final da história. Sem revelar muita coisa, concordo com a escolha, uma vez que o fim marca um novo começo para os personagens.

OBS: Reparem na cena do acidente férreo, primor de direção e atuação, a cena mais brilhante e bem feita da obra.

O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA (THE GREATEST SHOW ON EARTH)
LANÇAMENTO: 1952 (EUA)
DIREÇÃO: CECIL B. DEMILLE
GÊNERO: DRAMA
NOTA: 5,0

4 comentários:

Rodrigo Mendes disse...

CEcil B. Demille abraçou o projeto da sua vida com seu último filme o épico maravilhoso Os Dez Mandamentos. Tenho o boz especial com vários extras e a versão muda que o próprio DeMille fez na década de 20.

Eu gosto do Maior Espetáculo Da Terra, acho exótico, estérico e muito marcante. os filmes de DeMille eram grandiosos e berrantes. Sempre de encher os olhos. Ousados!

Abs,
Rodrigo

Edson Cacimiro disse...

Disse tudo o rodrigo, o filme é de encher os olhos, um grande filme realmente!

Augusto César disse...

Oi Gui!

Primeiramente, obrigado pela visita ao Panorama TV; espero contar com novas aparições...

Eu já tinha entrado no 1/3 uma vez, mas não fiz nenhum comentário. Parabéns pela proposta do blog; muito bacana mesmo!

Já coloquei seu link lá no Panorama, estou seguindo e voltarei aqui mais vezes para ler e comentar seus posts. Só não espere de mim comentários muito valiosos, uma vez que eu não sou nem de longe um cinéfilo, hehehehe... Gosto de filmes, mas raramente paro pra ver algum.

Abraço!!!

Elton Telles disse...

Olá, Gui!

ainda não assisti a "O Último Espetáculo da Terra" e embora seja considerado como o pior filme a vencer o Oscar na categoria principal, eu ainda acreditava que fosse um filme aceitável rs. No mais, cecil B. DeMille é megalomaníaco demais para meu gosto e não gosto tanto de Charlton Heston. É um filme que vu ver quando tiver oportunidade, porque, sinceramente, não me apetece muito...


abs!